banner aprenda ingles 728 x 90

BAHIA: Bispo é terceiro para governador, batista é o quarto deputado mais votado e prefeito evangélico da capital elege 4 da família

Terceiro colocado na disputa pelo governo da Bahia, com 189.596 votos (3,09% dos votos válidos), bispo Átila Brandão, pastor da Igreja Batista do Caminho das Árvores e advogado por profissão, ficou muito distante do segundo colocado, o candidato apoiado pelo senador Antônio Carlos Magalhães, Paulo Souto, que teve 3.242.336 votos, e de Jaques Wagner, do PT, que venceu a eleição no primeiro turno com 52,89% dos votos válidos. Por outro lado, o bispo superou em quase 5 vezes o quarto colocado, Hilton Coelho, do PSOL, que teve apenas 38.870 votos. Átila Brandão é do Partido Social Cristão, PSC, e formou uma coligação, denominada “A Bahia no coração”, com o PDT, do prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro, que também é evangélico, e o PRTB. Brandão, que disputou com o PT a ida para o Palácio de Ondina, foi quem “consagrou à condição de evangelista”, no final de 2005, o agora reeleito deputado federal, pelo PT, o também batista Walter Pinheiro, que é o quarto deputado federal mais votado da Bahia, com 200.894 votos. Uma elogiosa notícia da página do deputado na Internet, publicada em 26/11/2005, conta como foi sua consagração a evangelista:

Bispo Átila Brandão consagra Pinheiro como evangelista. Num Culto das Bênçãos que contou com a presença de pastores, presbíteros e de muitos outros irmãos em Cristo, o Bispo Átila Brandão, da Igreja Batista do Caminho das Árvores, consagrou Pinheiro à condição de Evangelista, em reconhecimento à sua atuação como instrumento do Senhor, para a conquista de muitas almas para as nossas fileiras. Pinheiro que, juntamente com Ana, atua sistematicamente nos Ministérios de Família, participa de forma ativa de Centenas de Encontros de Casais com Cristo, Encontros de Amigos com Cristo, Encontro de Jovens com Cristo, dentre outros. Pinheiro também tem trazido alegrias à face do Senhor através das suas constantes pregações que resultam num número cada vez maior de ímpios que cedem ao apelo do chamado do Senhor.

Falar em PT, o governador eleito, que interrompe uma sequência de 16 anos de “carlismo” no governo estadual, questionou os institutos de pesquisas que mostravam sua derrota em 1º de outubro, sem necessidade de outra votação. Como o que aconteceu foi o contrário, ele atacou: “Agora quem tem que explicar são os institutos de pesquisa, não eu. Eles é que têm que dizer se estavam mentindo, se estavam vendidos”. ACM elegeu o neto deputado federal com expressiva votação, mas, além de perder o governo do Estado, viu seu candidato ao Senado também ficar para trás. Vai ter que conviver com João Durval, do PDT, na bancada baiana do Congresso Nacional, em Brasília.

A coligação vitoriosa do recém-eleito senador incluiu o PSC, de Átila Brandão. Durval é pai do atual prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro (PDT), que é evangélico. A família de João Henrique se saiu bem nas eleições. Além do pai, a esposa elegeu-se deputada estadual pelo PDT, com 56.563 votos, o irmão, Sérgio Carneiro (70.348 votos, PT), e o concunhado, Sérgio Brito (46.950, PDT), ganharam a vaga para deputado federal. Outro irmão do prefeito não teve a mesma eficiência na busca pelo voto. Luis Alberto Carneiro, que candidatou-se a deputado estadual, obteve o apoio de 9.332 eleitores apenas e não foi eleito. A coligação PDT-PSC-PRTB acabou elegendo somente candidatos do PDT à Câmara Federal. Do PSC, ficaram de fora Milton Barbosa, que buscava a reeleição e teve 30.640 votos, e que ficou atrás do vereador mais votado de Salvador nas últimas eleições municipais em 2004, Erivelton Santana, que conquistou a primeira suplência de deputado federal, com 37.023 votos. Erivelton é ligado ao deputado estadual evangélico, Eliel Santana, que, além da coordenação de campanha de Átila Brandão ao governo do Estado é o primeiro suplente do senador eleito João Durval. Outro evangélico do grupo político de Eliel, Osny Bonfim, foi o vice-coordenador da campanha a governador. O PFL carlista e aliados elegeram 19 dos 39 deputados federais baianos. O PT elegeu 10. No Legislativo estadual, ACM também mandou bem. O PFL fez 26 das 63 vagas para a Assembléia baiana. Apesar de uma coligação com 9 partidos, denominada A Bahia de todos nós, o PT (com PMDB, PC do B, PSB, PPS, PV, PTB, PMN e PRB) vai enfrentar dura oposição no estado. Para presidente, completando a vitória do PT no estado, Lula teve 66,65% dos votos dos baianos; Alckmin, 26,03%. Heloísa Helena, que, no geral, teve 6,85%, e no Nordeste todo, 4,44%, ficou com 4,29%. Na lista de resultados, dois candidatos se identificam como pastor: Pastor Reginaldo (PP), com 2.090 votos, e Pr. Fábio Santos (PTN), com 741.

BAHIA Capital: Salvador Municípios: 417 População: 13.815.334 Eleitorado: 9.109.353 63 DEPUTADOS ESTADUAIS 39 DEPUTADOS FEDERAIS (renovação de 25,64%)

Pesquisa e edição: Lenildo Medeiros
Fontes: TSE, portal Terra, Uol, Globo.com, jornal Valor
Última atualização: Domingo, 20 Julho 2014 19:48