banner passaporte para a fluência chave do plano para falar ingles

Médicos lançam campanha para ensinar idosos a prevenir quedas

As quedas são a principal causa de morte acidental em pessoas com mais de 65 anos, segundo a Sociedade Brasileira de Otologia (SBO). De acordo com dados reunidos pela entidade, as lesões acidentais são a sexta causa de morte em pessoas de 75 anos ou mais, e as quedas são responsáveis por 70% desse tipo de mortalidade. A estimativa mundial, que se aplica também ao Brasil, é que 30% das pessoas acima de 65 anos sofrem quedas ao menos uma vez por ano. Para orientar a população sobre como prevenir esse tipo de acidente na terceira idade, a Sociedade Brasileira de Otologia e a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia lançaram nesta quarta-feira (27/9), Dia Nacional do Idoso, a Campanha Nacional de Prevenção a Quedas de Idosos. Segundo uma das coordenadoras da campanha, a otorrinolaringologista Raquel Mezzarila, o objetivo da iniciativa é “conscientizar o idoso sobre o risco das quedas e alertar para suas conseqüências - a principal delas é a fratura, que traz prejuízo à qualidade de vida da pessoa, já que, além de agravar condições de saúde já existentes, pode predispor o surgimento de outras doenças”. A médica disse que o principal fator de risco para as quedas é a perda do equilíbrio, que vem com o envelhecimento, associado a outras condições de saúde que afetam o idoso, como, por exemplo, a osteoporose (doença caracterizada pela fragilidade dos ossos). “Com o avanço da idade, existe um envelhecimento de várias estruturas relacionadas ao equilíbrio corporal, como o labirinto, os órgãos responsáveis pela sensibilidade corpórea e a diminuição da visão. O envelhecimento desses três sistemas já pode, por si só, causar desequilíbrio e favorecer as quedas", explicou Raquel Mezzarilla. Além disso, o idoso pode ser acometido por doenças cardiovasculaes e metabólicas, como o diabetes, ter colesterol alto, tomar remédios que causam efeitos colaterais, ter osteoporose, problemas musculares, e tudo isso, aliado ao envelhecimento do corpo, favorece a perda do equilíbrio e predispõe à queda”, acrescentou a médica. Para evitar quedas, ela recomenda, em primeiro lugar, que os idosos mantenham em dia a avaliação da saúde e, além disso, tenham uma série de cuidados no ambiente doméstico, onde ocorre a maioria dos acidentes. “As medidas de prevenção devem começar dentro de casa: evitar o uso de tapetes pequenos, que facilitam que se escorregue; instalar corrimões na beira de escadas, colocar interruptores de luz em locais de fácil acesso para manter o ambiente sempre bem iluminado; deixar uma luz acesa iluminando o trajeto entre o quarto e o banheiro à noite; e evitar manter no chão objetos como chinelos, caixas ou brinquedos”. Raquel Mezzarilla lembrou também que é importante o idoso manter uma atividade física regular adaptada a suas condições de saúde e não tomar remédios sem conhecimento do médico. A primeira ação da Campanha Nacional de Prevenção a Quedas de Idosos é a disseminação de informações por meio da imprensa. A segunda fase será lançada no dia 20 de outrubro, Dia Mundial de Combate a Osteoporose, e irá se concentrar em orientações sobre a doença, que é um dos fatores de risco para quedas na terceira idade. Fonte: Agência Brasil (Adriana Brendler)