banner aprenda ingles 728 x 90

Estudo do INCA propõe medidas para prevenir o Câncer

Como ação nacional do Dia Mundial do Câncer, 4 de fevereiro, o Instituto Nacional do Câncer lançou a publicação Políticas e Ações para Prevenção do Câncer no Brasil: Alimentação, Nutrição e Atividade Física. A publicação, que propõe medidas a serem adotadas no país para reduzir a incidência de câncer, revela que, no Brasil, a combinação de alimentação saudável com atividade física é capaz de prevenir 63% dos casos de câncer de boca, faringe e laringe; 60% dos tumores de esôfago e 52% dos casos em que a doença atinge o endométrio (camada que recobre o útero internamente).

Os números revelam ainda que 41% dos tumores de estômago, 34% de pâncreas e 37% de cólon e reto (partes do intestino grosso) poderiam ser evitados por meio da combinação exercício físico/combate à obesidade. No total, 19% de todos os cânceres poderiam ser evitados assim. No caso específico de 11 tumores, este percentual chega a 30%: boca, faringe, laringe, esôfago, pulmão, estômago, pâncreas, vesícula, fígado, intestino grosso (colorretal); mama, endométrio e rim.

Apenas o controle do peso consegue evitar 13% desses tipos de tumores. O resumo chama a atenção para medidas simples de serem adotadas pela população na maioria das regiões brasileiras: consumo de água potável, cuidado com a higiene e a conservação dos alimentos. Recomenda investimento em educação alimentar desde a infância e a ampliação e divulgação dessas práticas no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). “Se ninguém fumasse ou fosse exposto ao tabaco, aproximadamente um terço dos atuais casos de câncer seria prevenido.

Novas análises feitas para o Relatório de Políticas do Fundo Mundial de Pesquisa contra o Câncer 2009, mostram que, seguindo os padrões saudáveis de alimentação e atividade física, a prevenção pode chegar a um quarto de todos os casos”, diz um trecho da publicação. Entre as propostas para se alcançar a prevenção do câncer no Brasil estão:

- Restringir a propaganda e o marketing de alimentos tipo “fast food”, outros alimentos processados e de bebidas açucaradas a crianças na televisão e outras mídias e nos supermercados.

- A indústria de entretenimento e lazer deve priorizar produtos e serviços de entretenimento que possibilitem a todos, especialmente crianças e jovens, a estarem, fisicamente ativos.

- A mídia deve enfatizar notícias, reportagens e campanhas planejadas para promover a saúde pública, prevenir o câncer e contextualizar a cobertura sobre saúde.

- Incorporar alimentação e nutrição (incluindo preparação dos alimentos e habilidades culinárias) e educação física no currículo escolar obrigatório.

- Não permitir máquinas de venda de alimentos que oferecem produtos ricos em açúcar, gordura, sal ou bebidas açucaradas em cantinas e refeitórios.

Mais informações em português e em espanhol. Leia o estudo, em pdf. Ou a versão em espanhol.

Fonte: INCA - Instituto Nacional do Câncer

Última atualização: Terça, 04 Outubro 2011 16:58