banner aprenda ingles 728 x 90

Missões indígenas em Pernambuco durante o período colonial

Dissertação de Mestrado apresentada por Agatha Francesconi Gatti à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP) investiga a história dos missionários cristãos pernambucanos que atuaram naquela região, inclusive no sertão, entre 1681 e 1759. "O trâmite da fé: a atuação da Junta das Missões de Pernambuco, 1681-1759" é leitura interessante para aqueles que oram e trabalham com povos indígenas hoje.

O resumo do trabalho apresentado pela autora diz: "A dissertação tem como objetivo compreender a atuação da Junta das Missões de Pernambuco que, instituída em 1681, funcionou ao longo da primeira metade do século XVIII, sendo extinta apenas em 1759. A Junta das Missões de Pernambuco foi criada no contexto de consolidação da economia da pecuária e do conseqüente incremento do número de ordens religiosas envolvidas no processo de missionação. A necessidade de conquistar novos territórios, de garantir a estabilidade do povoamento na região e, portanto, o inevitável contato com populações indígenas desconhecidas e que, via de regra, tornaram-se os maiores obstáculos aos anseios portugueses, levou a Coroa a desenvolver novas estratégias de domínio e conquista com base nas contingências e especificidades locais".

"Pretende-se estudar a referida instituição buscando identificar suas competências, sua esfera de atuação, e seus mecanismos de funcionamento, observando como se chegavam às soluções e a maneira que se davam os encaminhamentos, tendo em vista que, em virtude da diversidade de sua composição, a Junta das Missões de Pernambuco constituiu-se num espaço privilegiado para a percepção dos diferentes interesses em jogo".

"Considerando a jurisdição que a Junta exercia nas chamadas capitanias de fora do sertão norte do Estado do Brasil, buscar-se-á investigar seu papel na configuração da política indigenista, uma vez que se trata de uma instituição especializada no gerenciamento do projeto missionário, bem como na consecução dos interesses metropolitanos na região. Pretende-se observar, em outras palavras, não apenas sua dimensão missionária, mas também sua dimensão política, como uma instituição que, direta ou indiretamente, zelava pela estabilidade do domínio português em Pernambuco e em suas capitanias anexas."

Leia aqui a íntegra da tese "O trâmite da fé: a atuação da Junta das Missões de Pernambuco, 1681-1759", de Agatha Francesconi Gatti, defendida em 12 de março de 2010 e cujo orientador foi Pedro Luis Puntoni. O trabalho, relacionado à área de história social, foi divulgado pela USP.

Última atualização: Sábado, 30 Agosto 2014 11:13