passaporte para fluencia em ingles banner

ONU: Mais de 34 milhões com HIV no mundo

unaids-relatorio-w1O relatório "Juntos vamos eliminar a AIDS" do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids) aponta que 34,2 milhões de pessoas vivem com HIV no mundo, sendo 30,7 milhões de adultos, 16,7 milhões de mulheres e 3,4 milhões com menos de 15 anos. Segundo o estudo, o maior número de pessoas infectadas está na África, com 23,5 milhões. Na América Latina, 1,4 milhão. Em 2011, 2,5 milhões de novas infecções foram identificadas no mundo, mais de 7 mil novas infecções por dia, quase todas em países de baixa e média renda. Os dados fora divulgados na quarta-feira, 18/7.

O documento oficial da ONU reconhece que "organizações comunitárias e religiosas prestam serviços e apoio para pessoas vivendo com HIV, incluindo microcrédito, assistência nutricional, cuidados infantis e vários tipos de ajuda de referência e treinamento. Em áreas remotas, estas organizações são muitas vezes os únicos prestadores de assistência. Relatório sobre saúde e religião no continente africano estima que organizações religiosas (baseadas na fé) operam 30 a 70% dos serviços de saúde da África".

Outra iniciativa religiosa que mereceu destaque dos especialistas no tema da Aids foi um movimento de combate à violência sexual. Diz o relatório: "Mobilizados pelas conclusões de um estudo sobre as respostas das igrejas à violência sexual em três países africanos, o arcebispo de Canterbury, Rowan Williams, e o Diretor Executivo do UNAIDS, Michel Sidibé, apoiaram o lançamento de um movimento em quatro países da África, incentivando os crentes de todas as religiões para falar contra a violência sexual e levar suas comunidades na prestação de aconselhamento e apoio às vítimas, sejam homens, mulheres ou crianças".

É a primeira vez que o documento vem com um título tão esperançoso. No entanto, ainda traz dados trágicos. Por exemplo: Morreram pelo HIV no período 1,7 milhão, sendo 1,5 milhão entre adultos e 230 mil entre menores de 15 anos de idade. O coordenador do Unaids no Brasil, Pedro Chequer, explicou que o alto número de pessoas com HIV no mundo é reflexo da queda das mortes provocadas pela doença, sobretudo em razão da ampliação do acesso a medicamentos antirretrovirais. "Esta é a primeira vez que a ONU publica um relatório com uma perspectiva positiva, de que poderemos alcançar em 2015 o controle da epidemia", completou.

Leia a íntegra do relatório da Unaids 2012.

Atualizada: Quarta, 18 Julho 2012 18:39