banner aprenda ingles 728 x 90

Estratégias da Organização Mundial da Saúde para prevenir o suicídio. Religião e espiritualidade citadas

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera a religião e a espiritualidade como parceiros importantes na prevenção ao suicídio, mas também como fator de risco. No documento sobre o tema divulgado pela entidade este ano de 2012, e intitulado "Ação de Saúde Pública pela Prevenção do Suicídio" (que, no momento da redação deste post, estava disponível apenas em inglês: Public Health Action for the Prevention of Suicide"), a lista de representantes interessados em combater este tipo de morte inclui "comunidades, líderes espirituais e religiosos", além de diversos setores do governo, educadores, familiares, legisladores, sobreviventes, médicos, policiais, bombeiros etc.

Em outra lista, de fatores de risco, a religião está de volta, nos seguintes termos: "certas crenças culturais e religiosas (por exemplo, acreditar-se que suicídio é uma resolução nobre de um dilema pessoal).

Dentre os fatores de proteção de vidas, os especialistas relacionam: "crenças pessoais, sociais, culturais e religiosas que desencorajam o suicídio e pregam a auto-preservação".

A importância de pessoas que estão em contato frequente e informal com membros de uma comunidade no reconhecimento de potenciais suicidas para ajudá-los e até encaminhá-los a serviços públicos de qualidade: cuidados médicos, psicológicos etc. Recomenda-se que estas pessoas que lidam com estes doentes sejam treinadas para reconhecerem fatores de risco de suicídio e acompanhadas de perto para reciclagem constante. Dentre este pessoal estratégico, estão: professores, líderes comunitários, assistentes sociais e líderes espirituais e religiosos, entre outros.

suicide prevention pub 2012Um roteiro útil para prevenir o comportamento suicida, uma abordagem gradual, segundo a OMS, deve ter: "Identificação das partes interessadas. A realização de uma análise da situação. Avaliar a necessidade e disponibilidade de recursos. Alcançar um compromisso político. Vencer o estigma. Aumentar a consciência e o reconhecimento do problema. Objetivos claros. Identificar fatores de risco relevantes e fatores de proteção. Intervenções eficazes. Estratégias de prevenção ao nível da população em geral e para os mais vulneráveis, ​sub-populações em risco. Estratégias de prevenção no nível individual. Melhorar o registro de casos e realização de pesquisas. Monitoramento e avaliação".

Leia a íntegra do Documento da Organização Mundial da Saúde sobre Prevenção ao Suicídio.

Atualizada: Segunda, 10 Setembro 2012 11:31