banner aprenda ingles 728 x 90

Centenário de Vinicius de Moraes: no início, poesia religiosa

Uma curiosidade a respeito do grande poeta e compositor brasileiro Vinicius de Moraes, que, neste 19 de outubro, estaria completando 100 anos, é que seu começo como poeta se deu com temática religiosa. Vinicius veio de família cristã católica e estudou em escola de padres (o colégio Santo Inácio, no Rio de Janeiro) onde recebeu rígida educação religiosa.

Uma das fontes mais interessantes desta informação sobre sua obra pode ser lida na Revista de Estudos Literários "Terra Roxa e Outras Terras" (Volume 5 - 2005), do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina. A POESIA RELIGIOSA DE VINÍCIUS DE MORAES: A GÊNESE DE UMA POÉTICA, artigo de Rosana Rodrigues da Silva (Unesp) que aborda a poesia religiosa, presente no início da produção poética de Vinicius de Moraes. Ela diz sobre o poeta:

"embora consagrado na música popular e nos poemas lírico-amorosos, apresenta no início de sua trajetória poética densa atmosfera religiosa. Sua estréia na literatura nacional deu-se com os três primeiros livros de poesia: O Caminho para Distância (1933), Forma e Exegese (1935), Ariana, a Mulher (1936), hoje incluídos na obra O Sentimento do Sublime. Pouco abordados, ou esquecidos em antologia, esses livros apresentam uma poesia impregnada de misticismo e religiosidade, uma matéria poética que destoa de modo singular do restante da produção do poeta".

As justas homenagens pelo centenário de um dos mais importantes artistas brasileiros acontecem em diversos espaços culturais, e também na mídia e na internet. Até no mecanismo de busca do Google, uma imagem faz referência à data.

Outra iniciativa pelo centenário é a volta da disponibilidade do documentário "Vinicius – Poesia, música e paixão", o mais completo sobre Vinicius de Moraes, produzido pela Rádio Cultura AM em 1993, por ocasião dos 80 anos do poeta e compositor, reapresentado este ano.

Dentre as publicações infantis do autor, a história bíblica é lembrada em "A arca de Noé – poemas infantis".