passaporte para fluencia em ingles banner

O batismo do Fred e o que significa o batismo dos cristãos evangélicos em geral

O batismo do Fred e o que significa o batismo dos cristãos evangélicos em geral Reprod Instagram Changbao

Quando o Pastor Marco Antônio Peixoto, da igreja Comunidade Evangélica Internacional da Zona Sul, no Rio de Janeiro, disse naquele domingo, 27 de setembro de 2015: "Fred, nós te batizamos em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo" e, logo em seguida, mergulhou o rapaz nas águas, a igreja ali reunida gritou como se fosse um golaço de final de Copa do Mundo.

Fred emergiu das águas do seu batismo cristão com uma expressão no rosto da mais pura e intensa alegria e apontou para os céus, glorificando a Deus, enquanto as pessoas ali no templo exultavam, quase explodindo de felicidade pelo novo irmão que estavam recebendo, e a perspectiva de que seu testemunho de vida após aquele ato influenciasse multidões a entregarem também suas vidas a Deus.

 

O que é o batismo cristão evangélico?

O batismo do jogador Fred do Fluminense é uma boa ocasião para falarmos um pouco da teologia e simbologia desta ordenança de Jesus, explicando melhor o seu significado para aqueles que já assistiram o vídeo do famoso camisa 9 tricolor sendo mergulhado por um pastor nas águas de uma pequena piscina, mas que ainda não entenderam bem o que tudo aquilo realmente significa para os envolvidos.

Quando alguém é exposto às boas novas de salvação em Cristo, ou seja, ao evangelho cristão (que fala da oferta gratuita da vida eterna que pode ser recebida mediante a fé em Jesus, aquele que foi crucificado por este motivo e ressuscitou para estar ao lado do Pai eternamente), essa pessoa que ouve a Palavra pode responder de três maneiras: ser indiferente, rejeitar ou aceitar.

“Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado”.

Como se vê no versículo citado (Marcos 16.16), o batismo não é imprescindível para a salvação eterna em Cristo, mas quem crê no evangelho, em seguida, sente-se com o desejo de obedecer a Jesus e demonstrar publicamente seu compromisso com Deus através do batismo nas águas. Embora saiba-se também, através da Bíblia, assim como pela experiência prática, que, mesmo quem aceita o evangelho, pode fazer isto de forma superficial, insuficiente ou completa.

Vemos esta gradação do tipo de resposta ao evangelho muito claramente na parábola de Jesus que fala do semeador, da semente e do terreno do coração, em Marcos 4.1-20 e Mateus 13:1-23 (Bíblia, Novo Testamento). Veja um trecho a seguir:

"Eis que o semeador saiu a semear. E, quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-na; E outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda; Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz. E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na. E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta."

 

Batismo: Morte para o mundo e ressurreição para a vida com Deus

A palavra "batismo", em português, tem sua raiz etimológica no idioma grego, com o significado de "lavar ou mergulhar na água". Há muitos séculos esta palavra vem sendo usada para referir-se a uma forma de iniciação cristã.

O próprio Cristo deu autoridade a seus discípulos para batizarem, em seu nome ou, na forma ampla da Trindade, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Mas o batismo não faz "mágica" regenerativa alguma no coração, na vida posterior, nem na mente do crente, embora, evidentemente, traga benefícios psicológicos de cumprimento do dever, confirmação de decisão pelo caminho do Senhor e encorajamento à perseverança, e estabeleça a aceitação comunitária.

O verdadeiro significado do batismo cristão evangélico é ser um sinal exterior de uma obra anterior, já realizada por Deus e aceita pela fé: a identificação do batizando com Cristo na sua morte e ressurreição.

Em outras palavras, no "mergulho" estamos demonstrando simbolicamente que morremos com Cristo na Cruz e, no retorno à superfície, comunicamos que ressuscitamos (com Jesus) para uma vida nova, buscando corresponder a Ele por seus feitos, fazendo isso com o apoio da obra de santificação realizada pelo Espírito diariamente em nós.

Veja a seguir como é exatamente isto que está descrito na Bíblia, em Romanos 6.3-4, que diz:

“Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida.”

(Mas se você quiser entender MUITO melhor o que tudo isso relacionado ao batismo significa, leia a íntegra dos capítulos 5, 6, 7 e 8 de Romanos, em que Paulo explica o evangelho com muita propriedade).

 

Batismo: Imersão ou aspersão?

O batismo por imersão é uma forma mais eficiente de expressar o significado profundo do batismo, da morte e ressurreição, do que o por aspersão. Mas a maioria dos líderes cristãos sabe que esta parte relacionada à forma e circunstância do batismo não é a mais importante, e que o mais importante é que haja experiência prévia real de conversão e confissão pública de arrependimento e fé em Cristo.

Assim, recapitulando, o batismo deve ser consequência (e uma demonstração visível e pública) de algo que já aconteceu no coração do batizando como resultado da obra de Deus, em Cristo, através da ministração do Espírito Santo. E há mecanismos (de fato, nunca perfeitos ou infalíveis) na maioria das congregações, para evitar o batismo de pessoas cuja profissão de fé seja da boca pra fora ou sem sinceridade. Porque evitar isso é o que mais importa.

 

Batismo infantil

Há uma diferença de compreensão do batismo entre algumas igrejas evangélicas. Para uns, é permitido o batismo de crianças que são filhos ou filhas de pessoas que professam a fé cristã. Para outros, não é possível fazer o batismo sem uma confissão de fé voluntária e consciente, o que inviabiliza o batismo infantil. Mas estes últimos substituem a prática por uma cerimônia de consagração e dedicação de seus filhos a Deus quando bebês.

 

O batismo de Jesus e a promessa do Espírito

"Então Jesus veio da Galiléia ao Jordão para ser batizado por João. João, porém, tentou impedi-lo, dizendo: "Eu preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim?" Respondeu Jesus: "Deixe assim por enquanto; convém que assim façamos, para cumprir toda a justiça". E João concordou. Assim que Jesus foi batizado, saiu da água. Naquele momento os céus se abriram, e ele viu o Espírito de Deus descendo como pomba e pousando sobre ele. Então uma voz dos céus disse: "Este é o meu Filho amado, em quem me agrado". Mateus 3:13-17

 

Batismo no Espírito Santo

A simbologia da pomba descendo e pousando sobre Jesus, após seu batismo, aponta para uma relação entre esta prática cristã e a promessa de habitação e revestimento com poder do Espírito Santo. No entanto, aquele momento tornou-se necessário pela necessidade de cumprimento de profecias. Biblicamente, para os cristãos, a cronologia dos acontecimentos espirituais começa realmente na hora da conversão (arrependimento dos pecados, salvação pela graça e mediante a fé).

As expressões que descrevem o cumprimento da promessa de Jesus quanto à vinda do Espírito é que variam: batismo com o Espírito, batismo no Espírito e batismo do/pelo Espírito. Isto porque salvação e poder do Espírito referem-se para algumas igrejas evangélicas a duas experiências distintas e para outras a uma experiência só que inclui os dois benefícios.

As igrejas evangélicas discordam ainda quanto à cronologia destes acontecimentos espirituais (salvação eterna e poder do Espírito) e também quanto às evidências que seguem este revestimento do Espírito.

Para os pentecostais, além da habitação do Espírito na conversão, há uma segunda bênção do batismo com o Espírito Santo que coloca o servo de Deus numa posição espiritual elevada, com dons especiais. Para os não pentecostais, não existe uma segunda bênção definitiva, mas sim a necessidade de busca contínua da plenitude do Espírito no dia-a-dia da vida cristã, como se todos devessem encher-se e continuar enchendo-se do Espírito a cada dia.

"...mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo" (Atos 1:8) "Porque João, na verdade, batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo" (Atos 1:5).

 

Voltando ao batismo do Fred

Os resultados em campo, imediatamente antes do batismo do Fred (2x0 no Goiás no sábado, dia 26) e imediatamente depois (1x1 com o Grêmio, dia 30/9, classificando o Flu para as semifinais da Copa do Brasil 2015), ambos com gol do atacante, não poderiam ter sido melhores... mas o que vale mesmo para um recém batizado não é nada disso, o que importa de verdade é a alegria de ter assumido este compromisso eterno com o Senhor Jesus.

Assim, no final de tudo, o melhor não é analisar o que vai acontecer com o Fred nos gramados daqui para a frente, mas o importante é dizer como o jogador amigo do atacante tricolor, o Changbao, que divulgou o vídeo do batismo do Fred e que tornou o acontecido notícia em todos os jornais, e declarou:

"Parabéns, irmão Fred Guedes, por seu batismo. Que você seja grande exemplo e testemunho de um Deus vivo nesta nação".

Atualizada: Domingo, 04 Outubro 2015 14:59