banner biblia sagrada estudo bibllico 728x90

Turismo Religioso: o que é, conceitos, fundamentos

Peregrinos em Jornada Religiosa Peregrinos em Jornada Religiosa

Você costuma viajar por motivos religiosos ou espirituais? Já foi ou gostaria de ir à Terra Santa, por exemplo? Conhece ou quer conhecer os caminhos da Reforma Protestante na Europa? Trabalha ou tem outro tipo de interesse no setor turístico e precisa saber mais sobre turismo religioso? Aqui você tem esclarecimentos sobre o significado deste segmento turístico, o conceito que o define, seus fundamentos.

Turismo e Religião: O que são peregrinações?

No âmbito da atividade turística no segmento religioso, destacam-se as peregrinações religiosas, ou seja, quando há o deslocamento temporário de pessoas das suas casas para outras regiões ou países, para lugares considerados santificados, seja por uma recordação histórica ou por algum tipo de manifestação miraculosa que aconteceu ali.

As peregrinações variam de país para país, conforme a cultura, a história, a economia e outros fatores. Mas o que prevalece é que peregrinar por roteiros de fé está na essência da natureza humana.

O que é um peregrino?

Os peregrinos vão para estes locais em busca de satisfação de anseios espirituais, cumprimento de votos ou promessas ou ainda para orar, fazer preces, suplicar por uma solução divina para seus problemas e de seus familiares. Os peregrinos católicos também são chamados de romeiros.

 

Turismo Religioso evangélico

O turismo religioso entre os evangélicos pode confundir-se com turismo de eventos, corporativo e de lazer: são assembleias anuais de convenções de denominações evangélicas, congressos sobre temas espirituais como, por exemplo, missões ou família, encontros de pessoas de uma mesma faixa etária (jovens e adolescentes, terceira idade etc) e também retiros espirituais de carnaval, encontros de casais para ajuda espiritual na relação conjugal, e reuniões de líderes para capacitação e motivação ao trabalho nas igrejas locais.

Este encontros evangélicos acontecem tanto em nível nacional quanto estadual, e promovem muitos deslocamentos, gerando a necessidade de passagens, hospedagem, serviços de restaurantes, passeios e outras atividades turísticas...

O número de eventos evangélicos concorre para a formação de uma multidão considerável de viajantes indo e vindo de um lugar para outro ao longo de um ano, e isto não pode ser desconsiderado ao falarmos do conceito e âmbito do turismo religioso, especialmente no Brasil, com mais de 30% da população evangélica.

Outra faceta importante do turismo evangélico são as viagens relacionadas à história da Igreja cristã e aos ambientes por onde passaram personagens bíblicos. Os principais exemplos desse tipo de interesse são: O turismo evangélico para Israel e países vizinhos como Egito, Turquia, Grécia, entre outros, e os roteiros de viagens que seguem os caminhos da Reforma Protestante, seja com Lutero, Calvino e/ou outros reformadores e pré-reformadores.

Turismo internacional e religião

As mais famosas peregrinações no mundo são, com algumas exceções, de maioria católica:

  • Jerusalém, Israel (este inclui evangélicos, mas muitos lugares são específicos de acordo com a religião de cada grupo);
  • Fátima, Portugal;
  • Basílica de São Pedro, Vaticano;
  • Roma, Itália;
  • Lourdes, França);
  • Medjugore (Bósnia e Herzegovina);
  • Santiago de Compostela, Espanha;
  • Guadalupe, no México.

No Brasil

(Peregrinações e romarias mais conhecidas, na sua quase totalidade, católicas):

  • Círio de Nazaré, Belém do Pará;
  • Padre Cícero, Juazeiro do Norte no Ceará;
  • Iemanjá, Bahia;
  • Festa do Bonfim, Salvador, Bahia, e Rio de Janeiro;
  • Aparecida, São Paulo;
  • Espetáculo teatral da Paixão de Cristo, em Nova Jerusalém, Pernambuco.

Em nível intermunicipal, com relevância no próprio estado, sem grande conhecimento pelo restande do País, há algumas festas religiosas, as chamadas "festas das padroeiras". Representam este segmento do turismo religioso regional no Brasil, por exemplo:

  • RN, no Seridó: festa de Sant´Ana (padroeira da região);
  • RJ, capital e região metropolitana: Dia de São Jorge
  • SE, Aracaju, Itabaiana etc: Festejos juninos de São João, São Pedro e Santo Antônio.
  • GO, Niquelândia: Romaria de Muquém
  • MS, diversos municípios: Festa do Divino
  • MT, Cuiabá: Festa de São Benedito
  • PR, Guarapuava: Cavalhadas

As peregrinações a locais considerados sagrados, os festejos e os eventos religiosos anuais são encarados pelos profissionais de turismo como mais um importante produto turístico em seu catálogo.

Também são vistos pelas autoridades locais como alternativa econômica de desenvolvimento regional. E são conectados em pacotes para conduzir os viajantes aos demais atrativos não religiosos do lugar da romaria e aumentar os lucros.

Esta potencialidade do turismo religioso mantém-se reconhecida e deve ser feita sua inclusão em planejamento turístico sustentável dos governos, para que gere ainda mais empregos, movimente cada vez mais o comércio e promova o crescimento econômico, mas respeitando-se a motivação principal, espontaneidade, sinceridade e legitimidade espirituais dos visitantes.

Um conceito mundial

Em Portugal, durante um encontro da Pastoral do Turismo naquele país em outubro de 2017, a secretária nacional de turismo, Ana Mendes Godinho, deu uma entrevista que pode ajudar no entendimento do conceito de turismo religioso.

Depois de falar do crescimento e dos números lucrativos do segmento, Godinho apontou alguns elementos que ajudam no entendimento do setor:

Para ela “turismo religioso é manifestação da cultura e da história. É a manifestação mais antiga de turismo no mundo e também um pretexto para conhecer e mostrar o país”. E continuou a explicar que, "seja por motivações espirituais ou culturais, o setor do turismo religioso proporciona uma descoberta de todo o território”.

Ainda segundo a autoridade portuguesa, o problema da sazonalidade, ou seja, a ociosidade de alguns períodos pela concentração de festejos em certas datas apenas, em nível nacional está deixando de ser um problema "graças às várias manifestações religiosas durante todo o ano, que permite ter atividades e quase um calendário de eventos religiosos”.

Ela aproveitou para informar que em 2018 Portugal terá um portal de turismo religioso: “Os caminhos da fé”, com conteúdos sobre os caminhos de Fátima e de Santiago, informações sobre os altares marianos, mas também sobre património e roteiros judaicos, o que por certo é mais uma fonte importante de informações sobre turismo religioso no mundo.

Evolução do segmento: potencial econômico, oferta e procura no mercado turístico

O básico sobre a atividade turística é bastante óbvio: pessoas se movimentando ou se deslocando de um local de origem para um outro destino, onde permanecem por algum tempo.

Este deslocamento e esta permanência das pessoas longe de casa provocam situações que alteram a economia (geram negócios, há gastos e lucros envolvidos), o meio ambiente (para o bem ou para o mal) e questões sócio-culturais (quem mora lá influencia o outro que está aqui e vice-versa) das partes envolvidas.

O motivo da viagem é que determina o tipo de turismo. No caso em análise aqui, a motivação religiosa e/ou espiritual é o que leva a tal movimento.

Inclusive, vale ressaltar que muitas pessoas que viajam por motivos religiosos nunca fariam tal deslocamento ou deixariam suas casas por outro motivo qualquer, bem menos convincente para eles e elas, tais como lazer, recreação ou férias, negócios e motivos profissionais ou aventura, por exemplo.

Tal exclusividade também deve levar a uma análise por parte dos agentes e operadores locais de turismo religioso quanto à crescente percepção e aumento da sensibilidade dos viajantes religiosos quanto a manipulações grosseiras de sua busca espiritual ou com esforços de negociantes gananciosos que, sem o devido tato e sutileza, buscam lucrar excessivamente com a fé alheia.

Atualizada: Sexta, 17 Novembro 2017 11:25

pergunta biblica estudo capa a capa w500