passaporte para fluencia em ingles banner

Pesquisa incentiva avós a se envolverem com netos e pais a facilitarem este relacionamento

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Oxford na Inglaterra sobre as relações que as crianças e os adolescentes têm com os seus avós mostra a importância desta proximidade. Segundo o estudo, avós que estão envolvidos na educação dos seus netos podem contribuir para um bem-estar da criança. O resultado contraria pesquisas anteriores que afirmavam avós que tinha que estar comprometidos em cuidar dos netos se tornavam depressivos e exerciam um efeito negativo sobre as crianças. Estes e outros resultados da pesquisa, serão divulgados dia 4/6, na reunião anual Associação dos Avós da cidade de Londres. O diretor do Centro de Investigação em Maternidade e Infância, do Departamento de Política Social e Trabalho Social na Universidade de Oxford, que representará o grupo de pesquisadores no evento, comenta os resultados: "Fomos surpreendidos com a enorme quantidade de cuidados informais que os avós estavam prestando às famílias e como eles foram, em alguns casos, a grande compensação a preencher o fosso dos pais que têm que trabalhar muito para sustentar a casa. Os adolescentes, em especial, valorizam este relacionamento com os avós. O que foi especialmente interessante foi descobrir a ligação entre avós envolvidos com os netos e adolescentes bem-formados. E tal envolvimento não se refere apenas a proximidade. Somente avós que se comprometeram e realizaram atividades com os netos tiveram esse impacto positivo", relata o professor Buchanan. Outro pesquisador que lidera o grupo, o Dr Eirini Flouri, do Instituto de Educação de Londres, falou da importância dos avós em situações de separação dos pais e outras adversidades familiares. "Descobrimos que uma estreita relação entre avós e netos diminui os efeitos negativos dos eventos adversos da vida. O principal exemplo é quando há uma ruptura familiar com a separação dos pais. Os avós atuam como um importante fator para acalmar as crianças e manter o equilíbrio. Futuras investigações devem prestar mais atenção ao papel dos avós no desenvolvimento de resistência dos jovens a estas situações difíceis". O trabalho de investigação foi realizado a partir de 1.596 questionários aplicados em crianças, com idades compreendidas entre 11 e 16 anos, de toda a Inglaterra e País de Gales. Além disso, os investigadores conduziram entrevistas em profundidade com 40 crianças de variadas origens. Outra informação confirmada pela pesquisa foi que quase um terço dos avós maternos dão assistência constante nos cuidados com os seus netos na infância e 40 por cento oferecem ajudas ocasionais. A pesquisa demonstra também que avós têm muito mais tempo do que os pais que trabalham para apoiar os jovens em atividades e para conversar com os netos sobre eventuais problemas que os jovens enfrentam e sobre seus planos para o futuro. Segundo o estudo, fatores que contribuem para um maior envolvimento dos avós com os netos são: viver num mesmo bairro, contato frequente e a saúde dos idosos.