Psicóloga punida vai continuar trabalho de apoio a homossexuais que voluntariamente decidem deixar a prática e recorrem à terapia

O advogado da psicóloga Rozangela Alves Justino, punida nesta sexta (31/7) pelo Conselho Federal de Psicologia (foi condenada à censura pública) por oferecer terapia para ajudar pessoas que desejam sair do homossexualismo, disse que vai recorrer na Justiça Federal contra a decisão, que manteve condenação anterior do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro. Segundo o advogado Paulo Fernando, a decisão “fere a liberdade de expressão, fere a liberdade científica e, principalmente, ofende aquelas pessoas que voluntariamente desejam praticar determinados atos. O resultado foi de uma flagrante injustiça e vamos argui-lo”. Rozangela, por sua vez, que apareceu na entrevista coletiva após a decisão, ainda no CFP, com óculos escuros e máscara do tipo cirúrgica, por temer represálias se fosse reconhecida nas ruas, afirmou que vai continuar seu trabalho de apoio a homossexuais que voluntariamente decidem deixar a prática e recorrem à terapia. “Com certeza, vou continuar. Vejo que as pessoas têm direito de procurar esse apoio. É a pessoa que define o quer dentro da psicoterapia. Não sinto vergonha e nunca sentirei de acolher pessoas que querem deixar voluntariamente o estado de homossexualidade. Estão me submetendo a uma mordaça. Mas quero dizer às pessoas que estão em estado de sofrimento psíquico e desejam deixar a homossexualidade que procurem profissionais nas suas cidades”, disse a psicóloga aos jornalistas, ainda em Brasília, logo após a decisão. O advogado de Rozangela disse ainda, na entrevista coletiva, que o trabalho de Rozangela iria até aumentar: “Nesses 28 anos, ela não teve nenhum paciente que reclamasse do tratamento que recebeu. Devido a essa notoriedade, acredito que vai ter fila na porta do seu consultório de tanta gente querendo ser atendida". Em resposta à resolução do CFP que afirma, desde 22 de março de 1999, que a homossexualidade “não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão”, a psicóloga citou uma publicação da Organização Mundial da Saúde (OMS) que traz a definição de transtorno de identidade sexual. "A homossexualidade pode ser primária ou secundária a outros transtornos”, comentou Rozangela. Enquanto aguardava a decisão, Rozangela já afirmava em seu blog a certeza de estar amparada pela oração e apoio efetivo da Igreja: “Ainda nos encontramos na sala de espera do CFP e estou me sentindo muito bem acompanhada pessoal e tecnicamente por diversos advogados, e pelo pastor Rodrigo da igreja Bola de Neve-DF, além da assessoria do deputado Paes de Lira. Deus colocou diversos advogados e amigos ao meu redor. Milhares de pessoas em todo o Brasil oram por mim e em tudo vejo a mão de DEUS. Embora o site da ABRACEH esteja fora do ar porque milhares de pessoas entraram para participar do abaixo-assinado, as pessoas continuam enviando seus nomes, profissão e número do documento. Não sabemos qual será o desdobramento disso, razão pela qual os advogados me disseram que o abaixo-assinado deve continuar. Paz e todo o bem. Rozangela”. A ABRACEH é uma rede de apoio cidadão que realiza trabalhos preventivos através da ação sócio-educacional-espiritual junto a pessoas que sofrem por terem desenvolvido qualquer transtorno e a sobreviventes da violência estrutural/doméstica/social, priorizando as crianças e os adolescentes em situação de risco social, especialmente aqueles vitimados pelo abuso e exploração sexual. O enunciado do abaixo-assinado, para quem deseja reproduzir e passar aos membros de sua igreja, ou mesmo entre amigos e familiares, é o seguinte: ABAIXO-ASSINADO Considerando os termos dos Arts. 3º, IV; 4º, II; e 5º, IV, V, VI, VII, VIII, IX, X, XIII, XIV, XV, XVI, XVII, XVIII da Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 5 de outubro de 1988, que nos assegura o direito de: a) PENSAR (liberdade de consciência); b) EXPOR NOSSAS IDÉIAS (liberdade de expressão, intelectual e científica); c) ASSOCIAR PARA APOIAR OS QUE QUEREM SER APOIADOS (liberdade de atuar e/ou fornecer informações à sociedade). É que abaixo assinamos em apoio à psicóloga Rozangela Alves Justino, CRP 05/4917, para que continue a incluir em seu atendimento profissional, também as pessoas que voluntariamente desejam deixar a atração pelo mesmo sexo e a realizar trabalhos preventivos, de forma a garantir este direito humano e constitucional. A psicóloga Rozangela Alves Justino prometeu e vem cumprindo o seu juramento quando da colação de grau que por meio do seu exercício profissional contribuiria para o desenvolvimento da Psicologia como ciência e profissão na direção das demandas da sociedade, promovendo saúde e qualidade de vida a cada sujeito e a todos os cidadãos e instituições cumprindo todos os princípios fundamentais e artigos que envolvem a sua responsabilidade segundo o seu Código de Ética Profissional. (A orientação é que seja feita uma tabela para a lista de assinaturas com NOME / PROFISSÃO / DOCUMENTO, quantas linhas couberem numa folha. No Word em forma de paisagem cabem 25 assinaturas. Após a coleta das assinaturas, deve ser enviado para a CAIXA POSTAL 106.075, Niterói, RJ, CEP 24230-970) Um dos que assinou o manifesto foi o jornalista e pastor metodista, Luciano Pereira Vergara, que declarou: “Manifesto meu total apoio à Psicóloga Rozangela Justino, pessoa de meu conhecimento pessoal, cujos trabalhos tenho acompanhado há vários anos e pelo meio dos quais ela tem cumprido com honradez e competência, fazendo de sua habilidade profissional um instrumento de amor e resgate que torna o exercício de sua função um modo eficaz no propósito de ajudar a quem dela se socorre a se realizar como pessoa e ser social. Feliz a categoria que tem em suas fileiras profissionais da estirpe, seres humanos sensíveis, como a minha amiga Dra. Rozangela Justino”. * Com informações da Agência Brasil. Foto: Valter Campanato/ABr

Atualizada: Domingo, 20 Julho 2014 01:14

Pin It

Se você gostou do que leu, queria sugerir três coisas:

1) Se quer que outros também sejam abençoados como você foi, compartilhe o link de acesso a este artigo nas suas redes de whatsapp, Facebook, Instagram etc... O link para que outros também leiam o que você leu e gostou está na barra de URL do seu navegador. Ou use um de nossos links de compartilhamento nesta página.

2) Se quiser acrescentar algo, elogiar, criticar ou tirar uma dúvida, deixe aqui no espaço para os comentários desta página mesmo. Ou entre em contato conosco.

3) Se quiser nos ajudar a continuar, uma das coisas que você pode fazer é visitar também um site de algum de nossos parceiros. Para isso, basta entrar lá através de nossas indicações nesta página, isto se você tiver algum interesse no que está sendo oferecido.

Seu apoio é de vital importância. E saiba que o que você fizer nos ajudará muito a manter esta obra funcionando.