Estudo do IBGE sobre casamentos, divórcios, nascimentos e óbitos em 2008

"Aumenta número de crianças com certidão de nascimento, dez anos após a lei de gratuidade", "Em 2008, de cada 100 nascimentos, cerca de 9 crianças não eram registradas", "Maranhão, Pará e Tocantins apresentam maiores percentuais de mães adolescentes e jovens", "Subregistro de óbitos permanece como desafio", "A maior parte da omissão de registros de óbitos é atribuída ao subregistro de óbitos infantis (menores de um ano de idade)", "Homens de 15 a 24 anos são maiores vítimas de óbitos violentos", "Total de casamentos registrados no Brasil aumenta 4,5% entre 2007 e 2008", "Acre tem a maior taxa de nupicialidade (12‰) e Rio Grande do Sul a menor (4,5 ‰), em 2008", "Homens e mulheres estão se casando mais tarde", "Casamentos em que pelo menos um cônjuge é divorciado ou viúvo representam 17,1% do total", "Rio de Janeiro, Rondônia e São Paulo têm maiores proporções de casamentos entre divorciados", "Em 2008, 14,5% das dissoluções foram realizadas em tabelionatos", "Taxa geral de divórcios avança mais do que taxa de separações", "Pernambuco tem a maior proporção de separações não consensuais do país", "71,7% das separações não consensuais são requeridas por mulheres". Estes foram os principais destaques selecionados pela equipe do IBGE para a divulgação dos resultados da pesquisa "Estatísticas do Registro Civil 2008", que foi disponibilizada em 25/11. Mas você pode ler em detalhes o relatório da pesquisa e tirar suas próprias conclusões. O estudo apresenta "informações sobre os fatos vitais ocorridos no País, reunindo a totalidade dos registros de nascidos vivos, óbitos e óbitos fetais, bem como sobre os casamentos, informados pelos Cartórios de Registro Civil de Pessoas Naturais, além de informações sobre as separações e os divórcios declarados pelas Varas de Família, Foros, Varas Cíveis e Tabelionatos". O conjunto das informações está disponível no portal do IBGE na Internet.

Atualizada: Domingo, 20 Julho 2014 01:08

Pin It

Se você gostou do que leu, queria sugerir três coisas:

1) Se quer que outros também sejam abençoados como você foi, compartilhe o link de acesso a este artigo nas suas redes de whatsapp, Facebook, Instagram etc... O link para que outros também leiam o que você leu e gostou está na barra de URL do seu navegador. Ou use um de nossos links de compartilhamento nesta página.

2) Se quiser acrescentar algo, elogiar, criticar ou tirar uma dúvida, deixe aqui no espaço para os comentários desta página mesmo. Ou entre em contato conosco.

3) Se quiser nos ajudar a continuar, uma das coisas que você pode fazer é visitar também um site de algum de nossos parceiros. Para isso, basta entrar lá através de nossas indicações nesta página, isto se você tiver algum interesse no que está sendo oferecido.

Seu apoio é de vital importância. E saiba que o que você fizer nos ajudará muito a manter esta obra funcionando.