Ranking do desenvolvimento humano em dezenas de países e número de migrantes no mundo

Veja a lista de 182 países e territórios, classificados segundo o Índice de Desenvolvimento Humano calculado com dados relativos a 2007, divulgada pelo site do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento no Brasil (PNUD) nesta segunda-feira (5/10). Também leia sobre outro destaque do relatório: o "mundo tem quase 1 bilhão de migrantes". Veja a seguir mais detalhes e os resultados do ranking na íntegra. O 5 países no topo da lista, com desenvolvimento humano muito elevado, são Brasil: 1) Noruega (0,971); 2) Austrália (0,970); 3) Islândia (0,969); 4) Canadá (0,966) e 5) Irlanda (0,965). Os últimos do ranking: 178) Mali (0,371); 179) República Centro-Africana (0,369); 180) Serra Leoa (0,365); 181) Afeganistão (0,352); e 182) Níger (0,340). O Brasil ocupa a posição de número 75, com 0,813. Sobre migrantes, leia aqui o texto Ultrapassar Barreiras: Mobilidade e desenvolvimento humanos: "Vivemos num mundo altamente móvel, onde a migração não só é inevitável mas também corresponde a uma dimensão importante do desenvolvimento humano. Quase 1 bilhão de pessoas – ou uma em cada sete – são migrantes. (...) As conclusões a que este relatório chegou lançam uma nova luz sobre alguns mitos comuns. Com efeito, a maioria dos migrantes não transpõe as fronteiras nacionais, deslocando-se, pelo contrário, dentro dos limites do seu próprio país: 740 milhões de pessoas são migrantes internos, quase quatro vezes mais o número de migrantes internacionais. Entre os migrantes internacionais, menos de 30% deslocam-se de países em desenvolvimento para países desenvolvidos. Por exemplo, apenas 3% dos africanos vivem fora do país onde nasceram.(...) Contudo, a migração não traz sempre benefícios. Depende em grande medida das condições sob as quais se deslocam. As despesas poderão atingir níveis consideráveis e os deslocamentos envolvem inevitavelmente incertezas e a separação de famílias. Os pobres são muitas vezes restringidos pela sua falta de recursos e de informação, e por barreiras que lhes são impostas nas suas novas comunidades e países de acolhimento. Algumas mulheres são apanhadas em redes de tráfico, perdem liberdades significativas e sofrem perigos físicos."

Pin It

Se você gostou do que leu, queria sugerir três coisas:

1) Se quer que outros também sejam abençoados como você foi, compartilhe o link de acesso a este artigo nas suas redes de whatsapp, Facebook, Instagram etc... O link para que outros também leiam o que você leu e gostou está na barra de URL do seu navegador. Ou use um de nossos links de compartilhamento nesta página.

2) Se quiser acrescentar algo, elogiar, criticar ou tirar uma dúvida, deixe aqui no espaço para os comentários desta página mesmo. Ou entre em contato conosco.

3) Se quiser nos ajudar a continuar, uma das coisas que você pode fazer é visitar também um site de algum de nossos parceiros. Para isso, basta entrar lá através de nossas indicações nesta página, isto se você tiver algum interesse no que está sendo oferecido.

Seu apoio é de vital importância. E saiba que o que você fizer nos ajudará muito a manter esta obra funcionando.