Falar a verdade faz bem à saúde, diz pesquisa

  • Por Daniel Galvão
  • Publicado em saúde
  •  

primeiro-de-abril"Por isso deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros". O conselho do apóstolo Paulo, registrado em Efésios 4.25, continua atual e necessário como quando escrito há quase 2 mil anos. Uma das prerrogativas de quem é iluminado pelo Evangelho é abandonar a mentira e suas conseqüências para vivenciar a verdade e todos os seus benefícios. Entretanto, contar histórias falsas de forma sistematizada não é raro e pode, na verdade, revelar uma doença conhecida como mitomania.

É o que explica o psiquiatra e doutorando do Departamento de Psquiatria da Unifesp, Adriano Resende Lima, em reportagem publicada pelo portal Terra. "A pessoa cria situações falsas, vivencia a mentira, cria uma realidade paralela e acredita nela", explicou à jornalista Thais Sabino. Nos casos mais agudos, terapia e até uso de medicamentos são o caminho da cura.

O argumento do especialista é confirmado pelo pastor Carlos Bregantin, do Caminho da Graça, em SP, que falou à Soma. Ele explicou que a mentira acaba "drenando" quem se submete a ela como estilo de vida. "Penso que o ser humano minta sempre, mesmo que, embora, busque falar a verdade sempre. A mentira como vício, cria um universo inexistente no qual o mentiroso corre o risco de se mudar pra lá. Isto faz com que o mentiroso viva num mundo que não existe e gaste toda energia que tem pra manter este universo mentiroso", argumentou.

Por outro lado, falar a verdade faz bem à saúde. De acordo com um estudo publicado pela Revista Época, psicólogos da Universidade de Notre Dame, nos Estados Unidos, fizeram por dez semanas um experimento e avaliaram os efeitos da honestidade em uma pessoa. Ao todo, mais de 100 pessoas, com idades entre 18 e 71 anos, foram analisadas.

A conclusão dos especialistas americanos surpreende. De acordo com a reportagem da revista, a relação entre mentir menos e ter uma saúde melhor existe. "Evidências recentes indicam que os americanos mentem, em média, 11 vezes por semana. Nós queríamos saber se viver mais honestamente pode levar a uma melhor saúde", explicou Anita Kelley, psicóloga que liderou o estudo, aos jornalistas de Época.

Na prática, por exemplo, o grupo dos que falavam a verdade na pesquisa apresentaram, em média, quatro vezes menos queixas ligadas à saúde mental e três vezes menos reclamações sobre dores físicas. Assim, além de ser uma das premissas de quem professa a fé cristã, falar a verdade ganha apoio científico para que seja uma prática cada vez mais comum entre aqueles que desejam viver mais e melhor.

Atualizada: Quinta, 03 Julho 2014 05:43

Se você gostou do que leu, queria sugerir três coisas:

1) Se quer que outros também sejam abençoados como você foi, compartilhe o link de acesso a este artigo nas suas redes de whatsapp, Facebook, Instagram etc... O link para que outros também leiam o que você leu e gostou está na barra de URL do seu navegador. Ou use um de nossos links de compartilhamento nesta página.

2) Se quiser acrescentar algo, elogiar, criticar ou tirar uma dúvida, deixe aqui no espaço para os comentários desta página mesmo. Ou entre em contato conosco.

3) Se quiser nos ajudar a continuar, uma das coisas que você pode fazer é visitar também um site de algum de nossos parceiros. Para isso, basta entrar lá através de nossas indicações nesta página, isto se você tiver algum interesse no que está sendo oferecido.

Seu apoio é de vital importância. E saiba que o que você fizer nos ajudará muito a manter esta obra funcionando.