Próximo passo: Olimpíadas Rio 2016

  • Por Lenildo Medeiros *
  • Publicado em esporte
  •  
Olimpíadas Rio 2016 em obras... e o legado? Olimpíadas Rio 2016 em obras... e o legado?

O Rio de Janeiro foi a cidade brasileira que mais recebeu grandes eventos nos últimos anos.

Começando com os Jogos Mundiais Militares em 2011 (antes disto, recebendo os Jogos Pan-Americanos de 2007), refletindo sobre meio ambiente com o mundo e a ONU na Rio+20 em 2012, peregrinando com a visita do Papa Francisco ao Brasil e a Jornada Mundial da Juventude em 2013, festejando a Copa das Confederações da Fifa no mesmo ano, e sofrendo com a Seleção canarinho e sendo uma das sedes da Copa do Mundo em 2014, inclusive com o jogo final (sem o time brasileiro) no Maracanã. Pois bem, neste momento a cidade se volta para as Olimpíadas de 2016. Faltando cerca de 750 dias para o início dos Jogos, e após a nota 9,25 para a Copa do Mundo (dada pelo presidente da Fifa, Joseph Blatter), os organizadores do evento olímpico voltam suas atenções para os preparativos e obras ainda por terminar.

Mas para muitos cariocas, e outros brasileiros, surgem perguntas diante dos desafios e problemas atuais e potenciais, passando pelas várias situações relacionadas ao evento: desde se estão adequados o preparo e o investimento em nossos atletas para não repetirem, em outros esportes, o vexame da Seleção Brasileira de futebol na Copa, até se as questões urbanas estão sendo bem encaminhadas e haverá realmente um legado para a população local após 2016, quando tudo efetivamente voltará ao normal na cidade.

Legado? Qualidade de vida para "inglês" ver...

As palavras do cineasta agredido pela PM dão o tom do que deveria predominar em nossas reflexões sobre estes eventos e seus reais benefícios.

Ao comentar, numa entrevista ao jornal carioca O Dia, a prisão dos PMs suspeitos de agressão e roubo durante o protesto na Praça Saens Pena, próximo ao Maracanã, no domingo da final da Copa, o canadense Jason O'Hara afirmou: "Os investigadores estão de parabéns. Só espero que tenham esse mesmo desempenho ágil que tiveram comigo, um estrangeiro, com todos os cidadãos brasileiros que porventura vierem a ser agredidos injustamente em protestos legítimos".

Certeiro, O'Hara!

Ele se referia ao comportamento da polícia, mas o mesmo raciocínio se aplica a outras áreas, inclusive o transporte coletivo. O cuidado é só com estrangeiros, ou depois que eles se forem, os maus tratos e sofrimentos cotidianos retornam? Tudo é feito só para mostrar uma imagem durante os grandes eventos? E, depois da cerimônia de encerramento, os residentes que voltem a se acostumar com a falta de qualidade de sempre?

Quem mora no Rio já está se acostumando a ver estas discrepâncias na maneira de agir dos prestadores de serviços em épocas de grandes eventos. São tais as diferenças de atitude que até irritam quando alguém compara aquilo com o que ele está habituado a receber em "dias normais". Exemplos podem ser observados numa caminhada pela cidade, nos ônibus, em viagens de avião, no policiamento, na limpeza de algumas áreas da cidade, e em algumas situações com a presença ostensiva e qualificada do Estado e de empresas de serviços, preocupando-se até com alguns detalhes desnecessários (mesmo que deixando rombos enormes em outras áreas muito mais importantes).

Quando viajei de avião durante a Copa, a pontualidade foi britânica, o atendimento, super qualificado, os lanchinhos de bordo reforçados em qualidade e quantidade. Na volta de uma das viagens, resolvi testar o BRT TransCarioca (ônibus em via exclusiva atravessando a cidade): Quanto policiamento! Que disponibilidade de horários de partidas e chegadas! E que disponibilidade dos atendentes para dar informações! Depois, conversando com usuários, percebi que o TransOeste (outro BRT da Barra para os bairros de Santa Cruz e Campo Grande) piorou muito em lotação e número de atrasos no mesmo período. Motivo: muitos ônibus foram remanejados para privilegiar a rota do aeroporto e do caminho do Maracanã!

Obras olímpicas e o reino da fantasia

As autoridades que preparam os Jogos Olímpicos de 2016 dizem estar animadas e minimizam, como fizeram o pessoal da Copa, o atraso das obras. O Parque Olímpico da Barra, por exemplo, está longe de ser concluído. E é o local que vai receber grande partes das competições! O Maracanã vai ser aproveitado com pequenas adaptações. Pudera, o tanto de dinheiro gasto ali para a Copa tinha que ser reaproveitado. Mas, veja você, parece que são poucas as obras para a Copa que também terão bom uso durante os Jogos Olímpicos. E a Baía de Guanabara, será que vai dar tempo de limpar? Ou as competições de vela vão acontecer em meio a, digamos, tudo aquilo que costuma boiar nas águas que separam o Rio de Niterói? E ainda poderia falar da expansão do Metrô até a Barra, do BRT TransOlímpica e tantas outras...

De qualquer forma, é grande o número de pessoas de outros países que devem chegar. Por isso, pra não queimar o filme dos políticos de plantão, no final, eles vão dar um jeito em tudo, maquiar o que não der para ser feito a tempo, esquecer os projetos inacabados (e o dinheiro investido) debaixo de lonas e tapumes, torcendo para ninguém ver nada através dos seus furos... E quando todos forem embora? Bem, aí tudo volta ao normal e haja sofrimento de novo! Por isso, o jeito é questionar e protestar e, entre um e outro, pegar uma carona e curtir o bem-bom feito para os visitantes de outros países, enquanto durar o reino da fantasia. Que venham as Olimpíadas 2016!

* Lenildo Medeiros é pastor e jornalista, editor da Agência Soma.

Atualizada: Segunda, 10 Novembro 2014 16:35

Se você gostou do que leu, queria sugerir três coisas:

1) Se quer que outros também sejam abençoados como você foi, compartilhe o link de acesso a este artigo nas suas redes de whatsapp, Facebook, Instagram etc... O link para que outros também leiam o que você leu e gostou está na barra de URL do seu navegador. Ou use um de nossos links de compartilhamento nesta página.

2) Se quiser acrescentar algo, elogiar, criticar ou tirar uma dúvida, deixe aqui no espaço para os comentários desta página mesmo. Ou entre em contato conosco.

3) Se quiser nos ajudar a continuar, uma das coisas que você pode fazer é visitar também um site de algum de nossos parceiros. Para isso, basta entrar lá através de nossas indicações nesta página, isto se você tiver algum interesse no que está sendo oferecido.

Seu apoio é de vital importância. E saiba que o que você fizer nos ajudará muito a manter esta obra funcionando.