Dilma, Lula e a improvável lista de mudanças no estilo de governar

Dilma e Lula Divulgação Dilma e Lula

Algumas sugestões de mudanças para evitar a “catastre”.

Reeleita, a presidente Dilma Rousseff fala em mudanças. O discurso deixa claro que nem ela própria aguenta mais o pífio desempenho de seu governo, responsável pela estagnação econômica do país e pelo maior surto de corrupção já visto no Brasil, sem falar da política externa bolivariana e das reiteradas tentativas de controlar a imprensa independente.

1. Acabar com este ridículo “presidenta”. Ou então ser coerente: falar e escrever “gerenta”, “superintendenta”, “videnta” e assim por diante. Desobrigar gente até inteligente da humilhação de usar por instinto de sobrevivência política essa boçal forma de tratamento. Aproveitar e parar com eufemismos do tipo “malfeitos” quando o termo exato é “crimes”. E, de quebra, arranjar sinônimos para o infalível “no que se refere”. Eles existem, por incrível que pareça.

2. Parar com o ainda mais ridículo ”nunca antes na história deste país”. Até porque nunca antes na história deste país a mediocridade, a canalhice e a sem-vergonhice praticadas e estimuladas pela elite governante chegou a tal nível de perfeição como nestes últimos 12 anos.

3. Parar de se eleger e se reeleger através das bolsas-famílias da vida, valendo-se do desespero e da ignorância do povo. Ter um mínimo de decência para reconhecer que programas sociais existem em todos os governos. E fazer o necessário mea culpa sobre a covarde oposição ao programa dos adversários, como o Cheque-Cidadão do governo Garotinho. E reconhecer que um povo dependente é um povo fraco.

4. Pensar antes de falar. Não dizer, por exemplo, que o meio ambiente é um entrave ao desenvolvimento sustentável. Muito menos pregar na ONU o diálogo com quem demonstra não querer ouvir ninguém – mesmo porque corta a garganta dos interlocutores.

Controle social da mídia é censura bolivariana, reforma política via plebiscito é golpe e conselhos populares é o aparelhamento da sociedade

5. Parar de patrocinar e apoiar ditaduras e ditadores mundo afora. Ditadura só é ruim quando é praticada pelos inimigos? De repente, em vez de financiar porto em Cuba, trabalhar pela instalação de uma Comissão da Verdade na ilha dos Castro. E começar a planejar e executar uma política externa séria, considerando que nos últimos doze anos o Brasil fez o papel de bobo da corte da comunidade internacional.

6. Parar de dizer que a inflação a sete por cento(no papel) está sob controle. Em qualquer país decente, inflação acima de dois por cento já é caso de queda do governo.

7. Parar com a demagogia barata e mentirosa de dizer que a elite são os outros. E também que adversário eleitoral vai fazer aquilo que não disse que vai fazer. E reconhecer o estelionato eleitoral que se vai praticando com cara de paisagem e sob e pele de cordeiro do chamado ao diálogo.

8. Parar com esse simulacro de democracia travestido de participação popular. Controle social da mídia é censura bolivariana, reforma política via plebiscito é golpe e conselhos populares é o aparelhamento da sociedade.

9. Parar de aplaudir e fortalecer corrupto preso. Combater na prática a corrupção, em vez de procurar enfraquecer as instituições que lutam pela moralização do país.
Há muito mais. Se, porém, ao menos a presidente começar com o dever de casa, já terá feito muito.

* Macéias Nunes é pastor e jornalista.

 

Atualizada: Quinta, 14 Mai 2015 07:48

Pin It

Se você gostou do que leu, queria sugerir três coisas:

1) Se quer que outros também sejam abençoados como você foi, compartilhe o link de acesso a este artigo nas suas redes de whatsapp, Facebook, Instagram etc... O link para que outros também leiam o que você leu e gostou está na barra de URL do seu navegador. Ou use um de nossos links de compartilhamento nesta página.

2) Se quiser acrescentar algo, elogiar, criticar ou tirar uma dúvida, deixe aqui no espaço para os comentários desta página mesmo. Ou entre em contato conosco.

3) Se quiser nos ajudar a continuar, uma das coisas que você pode fazer é visitar também um site de algum de nossos parceiros. Para isso, basta entrar lá através de nossas indicações nesta página, isto se você tiver algum interesse no que está sendo oferecido.

Seu apoio é de vital importância. E saiba que o que você fizer nos ajudará muito a manter esta obra funcionando.