Cartilha: “Adoção: legal, segura e para sempre”

Foi lançada pela Frente Parlamentar em Defesa da Adoção da Criança e do Adolescente da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro na terça-feira, 25/5, a cartilha “Adoção: legal, segura e para sempre”. A cartilha, que será distribuída aos conselhos tutelares, abrigos, instituições e grupos de apoio ligados à adoção e varas de Infância e Adolescência, aborda temas como a importância da motivação que cada futuro pai deve ter, explicando, por exemplo, que filhos adotivos não suprem lacunas conjugais, não substituem filhos biológicos e não inserem na família filhos perdidos ou que nunca nasceram. Também explica as modalidades de adoção, informa quem pode legalmente adotar, descreve o processo de habilitação de futuros pais e explicita o papel dos grupos de apoio à adoção.

O lançamento da cartilha aconteceu no Dia Nacional de Incentivo à Adoção. O presidente da Frente Parlamentar, deputado Sabino (PSC), lembrou que o Brasil tem 80 mil crianças aguardando para adoção e só o estado do Rio tem cerca de 3 mil crianças em abrigos, dentre as quais apenas 300 estão aptas a serem adotadas. O coordenador do Centro de Apoio às Promotorias da Infância e Juventude, Rodrigo Medina, também apresentou um quadro da adoção no Rio: “o Ministério Público possui dados de todas as crianças abrigadas do estado, coletados desde 2007, além de quatro censos com dados sobre o tema. De maio de 2008 a dezembro de 2009, tivemos uma redução de 25% da população abrigada, ou seja, 948 crianças e adolescentes saíram das unidades de acolhimento e ou voltaram para suas famílias ou foram colocadas em famílias substitutas sob a forma de tutela, guarda ou adoção”.

A presidente da Associação Nacional dos Grupos de Apoio à Adoção, Bárbara Toledo, mãe adotiva de duas meninas, defendeu as adoções necessárias e também as campanhas de apadrinhamento, nas quais a criança não é adotada, mas conta com um maior de idade cuidando de sua vida escolar, saúde e dando afeto. “As adoções necessárias são as de crianças com mais idade, com deficiência e portadoras de doença, e grupos de irmãos que são abandonados. Queremos uma família para essas crianças”, enfatizou Bárbara.

Segundo o Censo da População Infanto-Juvenil de dezembro de 2009, 2.784 crianças estão, hoje, em 241 abrigos do estado do Rio.

Pegue aqui a Cartilha “Adoção: legal, segura e para sempre”.

Leia mais sobre "O direito de todas as crianças e adolescentes à convivência familiar"

Se você gostou do que leu, queria sugerir três coisas:

1) Se quer que outros também sejam abençoados como você foi, compartilhe o link de acesso a este artigo nas suas redes de whatsapp, Facebook, Instagram etc... O link para que outros também leiam o que você leu e gostou está na barra de URL do seu navegador. Ou use um de nossos links de compartilhamento nesta página.

2) Se quiser acrescentar algo, elogiar, criticar ou tirar uma dúvida, deixe aqui no espaço para os comentários desta página mesmo. Ou entre em contato conosco.

3) Se quiser nos ajudar a continuar, uma das coisas que você pode fazer é visitar também um site de algum de nossos parceiros. Para isso, basta entrar lá através de nossas indicações nesta página, isto se você tiver algum interesse no que está sendo oferecido.

Seu apoio é de vital importância. E saiba que o que você fizer nos ajudará muito a manter esta obra funcionando.