Igrejas e empresas de Sergipe abrem espaço para palestras contra as drogas

As palestras e atividades de conscientização contra as drogas, realizadas pelo Núcleo de Prevenção e Reinserção Social do Departamento de Narcóticos da Polícia Civil de Sergipe (Denarc), estão saindo do ambiente escolar e ganhando outras esferas, como a comunitária e até mesmo a empresarial. Representantes de igrejas, projetos sociais, organizações não-governamentais e empresas privadas vêm procurando a unidade para agendar visitas dos representantes do Denarc, a fim de alertá-los e orientá-los sobre os perigos e prejuízos oferecidos pelo uso de drogas, principalmente a maconha, a cocaína e o crack.

A afirmação é do agente de polícia Givaldo Nascimento dos Santos, coordenador do núcleo, que faz palestras sobre a temática do crack regularmente há 11 anos e foi um dos pioneiros a tratar do assunto no Estado. Segundo ele, "isso se dá por conta de um crescente índice de envolvimento" de pessoas com emprego fixo e estabilidade financeira com o vício em drogas. "Várias empresas têm nos procurado para ministrar palestras para os funcionários e diretores, no sentido de mostrar para eles uma nova visão sobre o que as drogas representam. Há uma necessidade destas empresas em chamar a atenção de seus colaboradores para os malefícios das drogas", afirmou Givaldo. 

Esta preocupação, segundo o coordenador, também se estende às igrejas, ONG's e associações comunitárias, que também têm procurado as palestras de conscientização do Núcleo e demonstram preocupação com o avanço do consumo de crack - principalmente entre os jovens, de todas as classes sociais. Para Givaldo, a prevenção do uso de drogas é o melhor remédio, já que elas trazem efeitos ruins e intensos - como depressão e delírio - e também estão associadas a homicídios, crimes violentos e causam dependência a partir dos primeiros usos.

Os líderes de igrejas de Sergipe que estiverem interessados em agendar palestras sobre drogas podem ligar para (79) 3259-1099 (Acadepol) ou no site.

Mesmo com a procura crescente de pessoas ligadas a outros setores, o foco principal das atividades está nas escolas e colégios das redes pública e particular, nas quais Givaldo leva amostras de drogas, slides com dados estatísticos, depoimentos de viciados e de ex-viciados, explicando como o crack afeta o ambiente social e principalmente o familiar. "O problema maior é o viciado na droga e não o traficante", teoriza o agente de polícia, ao afirmar que o objetivo é "informar os jovens sobre o que são as drogas, que efeitos elas causam no organismo e os estragos que elas oferecem à sociedade".

Viciados

Além das palestras de conscientização, o Núcleo de Reinserção Social do Denarc vem promovendo trabalhos de acolhimento e encaminhamento de viciados para centros especializados no tratamento de entorpecentes. "Temos o Centro de Atenção Psicossocial (Caps) que oferece atendimento médico, psicológico e de outros profissionais, além de atividades em grupo e apoio para familiares", diz Nascimento.

O policial diz também que, em alguns casos, a família pode pedir aos policiais que façam o chamado "resgate" do viciado. O serviço começou a ser feito pelo Núcleo há cerca de dois anos e, recentemente, ganhou o apoio do Programa Estadual de Enfrentamento do Crack e Outras Drogas, lançado pelo Governo do Estado. "Através de uma solicitação, uma equipe nossa vai ao local, avalia o estado do paciente e o convence a encaminhá-lo a um tratamento", explica Givaldo. Somente em 2010, 20 destes resgates já foram feitos.

Na maioria dos casos, segundo o agente, os pacientes concordam em ser encaminhados aos Caps ou às clínicas de reabilitação, "porque já tiveram a consciência da situação em que se encontram". No entanto, há casos em que o convencimento não dá certo. "Quando o viciado não aceita as condições, a família é orientada a buscar o Ministério Público e pedir que a Justiça dê uma autorização para que este viciado seja retirado de sua casa e mandado ao tratamento", disse o coordenador.

Fontes: Secretaria de Segurança Pública/Agência Sergipe de Notícias.

 

Atualizada: Quinta, 17 Julho 2014 22:59

Se você gostou do que leu, queria sugerir três coisas:

1) Se quer que outros também sejam abençoados como você foi, compartilhe o link de acesso a este artigo nas suas redes de whatsapp, Facebook, Instagram etc... O link para que outros também leiam o que você leu e gostou está na barra de URL do seu navegador. Ou use um de nossos links de compartilhamento nesta página.

2) Se quiser acrescentar algo, elogiar, criticar ou tirar uma dúvida, deixe aqui no espaço para os comentários desta página mesmo. Ou entre em contato conosco.

3) Se quiser nos ajudar a continuar, uma das coisas que você pode fazer é visitar também um site de algum de nossos parceiros. Para isso, basta entrar lá através de nossas indicações nesta página, isto se você tiver algum interesse no que está sendo oferecido.

Seu apoio é de vital importância. E saiba que o que você fizer nos ajudará muito a manter esta obra funcionando.