Potencial sofrimento humano exposto em relatório econômico de riscos globais 2011

  • Por Lenildo Medeiros
  • Publicado em economia
  •  

“O aumento expressivo da população global e prosperidade crescente estão aumentando a pressão e tornando insustentável a provisão de recursos. A demanda por água, alimentos e energia deve aumentar em 30-50% nas próximas duas décadas, enquanto as disparidades econômicas incentivam respostas a curto prazo na produção e no consumo, ameaçando a sustentabilidade no longo prazo. Esse tipo de escassez pode causar instabilidade social e política, conflitos geopolíticos e danos ambientais irreparáveis”, aponta um novo relatório divulgado nesta quinta-feira, 20, pelo Fórum Econômico Mundial (WEF, de World Economic Forum).

O relatório “Global Risks 2011 (Sixth Edition) - An initiative of the Risk Response Network” trata dos problemas enfrentados pela sociedade em todo o mundo, e os riscos deles decorrentes para a população. Segundo uma rede de especialistas em dar respostas a riscos, as tendências mais importantes a serem minimizadas são: mudanças de pólos de poder global, incertezas econômicas, a escassez de recursos e fragilidade institucional. Dentre as soluções apontadas, eles dizem ser vital encontrar novas e mais eficientes formas de cooperação internacional para reequilibrar as situação. Do ponto de vista cristão, tais riscos devem ser motivo de oração e ação, especialmente por embutirem perspectivas sombrias e obviamente relacionadas com o sofrimento de pessoas e a felicidade ou não de famílias.

No estudo, os especialistas identificaram também sinais de uma certa falta de liderança mundial, aumento da intolerância e do extremismo, e relataram que o acesso ampliado às comunicações e ferramentas de conectividade está levando a uma transferência de poder do topo para as bases.

E para quem pensa que economia nada tem a ver com a vida diária de uma pessoa, e para o líder cristão que diz não ter tempo para essas questões por estar “ocupadíssimo com as tarefas da igreja e a organização dos cultos”, seria bom refletir um pouco sobre esta frase do relatório:

A questão da disparidade econômica está fortemente interligada com corrupção, os desafios demográficos, a fragilidade estatal, os desequilíbrios mundiais e o colapso dos preços. Tudo isso influenciando doenças crônicas, doenças infecciosas, o comércio ilícito, a migração, insegurança alimentar, terrorismo e armas de destruição em massa.

Outra tendência que pode ter relação com uma das mais tradicionais formas de associação humana, a igreja, diz respeito ao trecho do relatório que afirma que “as disparidades econômicas também estão contribuindo para um amplo processo de fragmentação social global”. E que, com a internacionalização da mídia e a interconectividade, “as formas tradicionais de associação estão sendo erodidas. A confiança nas instituições, parece ter caído”.

Leia o relatório sobre os riscos globais 2011 (em inglês e online, com gráficos e vídeos). Ou pegue uma cópia, em PDF, na seção de anexos mais abaixo.

E ainda: Como contraponto ao Fórum Econômico Mundial, que considera o PIB (Produto Interno Bruto) como referência para avaliar a situação de uma localidade, leia o "Relatório de Desenvolvimento Humano 2010: A Verdadeira Riqueza das Nações - Vias para o Desenvolvimento Humano - edição de 20o aniversário (em português, no anexo logo abaixo), que usa uma alternativa ao PIB, o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) para fazer a mesma avaliação.

Atualizada: Sábado, 26 Julho 2014 14:42

Pin It

Se você gostou do que leu, queria sugerir três coisas:

1) Se quer que outros também sejam abençoados como você foi, compartilhe o link de acesso a este artigo nas suas redes de whatsapp, Facebook, Instagram etc... O link para que outros também leiam o que você leu e gostou está na barra de URL do seu navegador. Ou use um de nossos links de compartilhamento nesta página.

2) Se quiser acrescentar algo, elogiar, criticar ou tirar uma dúvida, deixe aqui no espaço para os comentários desta página mesmo. Ou entre em contato conosco.

3) Se quiser nos ajudar a continuar, uma das coisas que você pode fazer é visitar também um site de algum de nossos parceiros. Para isso, basta entrar lá através de nossas indicações nesta página, isto se você tiver algum interesse no que está sendo oferecido.

Seu apoio é de vital importância. E saiba que o que você fizer nos ajudará muito a manter esta obra funcionando.