Fórum Social Mundial completa 10 anos e quer mobilização permanente: "Nem Jesus ficou só nas ideias"

Um dos coordenadores do Fórum Social Mundial disse nesta segunda-feira (25/1), em Porto Alegre, durante avaliação, em retrospectiva e perspectiva, dos 10 anos do movimento que combate o neoliberalismo e o imperialismo, que é preciso "sair da concentração e do vestiário, onde se combina táticas, para entrar em campo para mudar a correlação de forças que existe no mundo".

A declaração foi feita por um dos principais líderes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile, que complementou: "Só com ideias, nem Gandhi e nem Jesus Cristo puderam mudar o mundo". Parte das palestras foi transmitida ao vivo pela NBR TV e no site do evento. Stédile fez um apanhado histórico e lamentou o fato de continuarmos “com a hegemonia do capital no mundo”, de “a maioria dos governos serem de direita”, e do “predomínio do poder do capital sobre a mídia” (exemplificou dizendo, com certo exagero: “só falam mal de nós”. E sugerindo: “precisamos construir alternativas de comunicação”). Ele também exaltou o que considera como vitórias obtidas pelo Fórum: “Conseguimos contribuir para a derrota do neoliberalismo como ideologia. Diziam que chegamos ao fim da história e que o mercado e as empresas resolveriam o problema dos povos. Não resolveram”.

Outra declaração de destaque foi feita por Oded Grajew, da Associação Brasileira de Empresários pela Cidadania: “Dizer que outro mundo é possível é também viver este outro mundo possível hoje. Cada entidade e organização participante deve refletir: Como tratamos nossos funcionários? Como compramos e de quem compramos? Como consumimos no dia-a-dia? Como tratamos nosso semelhante?”. A representante do Fórum Social Europeu, Raffaella Bollini, completou: “Temos que aprofundar a discussão com os movimentos sociais, com a sociedade civil para romper com a essa sociedade hegemônica. Como uma rede que tem ideias para salvar o mundo, temos que colocá-las em prática”. (Por Lenildo Medeiros, com texto da Agência Brasil no último parágrafo)

Atualizada: Domingo, 20 Julho 2014 22:28

Se você gostou do que leu, queria sugerir três coisas:

1) Se quer que outros também sejam abençoados como você foi, compartilhe o link de acesso a este artigo nas suas redes de whatsapp, Facebook, Instagram etc... O link para que outros também leiam o que você leu e gostou está na barra de URL do seu navegador. Ou use um de nossos links de compartilhamento nesta página.

2) Se quiser acrescentar algo, elogiar, criticar ou tirar uma dúvida, deixe aqui no espaço para os comentários desta página mesmo. Ou entre em contato conosco.

3) Se quiser nos ajudar a continuar, uma das coisas que você pode fazer é visitar também um site de algum de nossos parceiros. Para isso, basta entrar lá através de nossas indicações nesta página, isto se você tiver algum interesse no que está sendo oferecido.

Seu apoio é de vital importância. E saiba que o que você fizer nos ajudará muito a manter esta obra funcionando.