Migrantes usam táticas e buscam redes de contato, inclusive na religião, para sobreviver em São Paulo

"Moradores de São Paulo que vieram de outros estados desenvolvem astúcias para conseguir se estabelecer na metrópole.

Essas astúcias envolvem a busca por redes de contatos, como organizações não governamentais e associações locais e/ou religiosas, que orientam questões como a obtenção de vagas em creches, empregos, moradias para locação, assistência de saúde, entre outros. "Essas associações atuam onde o Estado está ausente" diz a psicóloga Luiza Fernandes Ferreira, autora de um estudo sobre o tema apresentado no Instituto de Psicologia (IP) da USP."

Este é um trecho da matéria da Agência USP sobre estudo de psicóloga a respeito da vida dos migrantes na capital paulista. Continue lendo no site da USP.

Atualizada: Quarta, 26 Novembro 2014 08:42

Se você gostou do que leu, queria sugerir três coisas:

1) Se quer que outros também sejam abençoados como você foi, compartilhe o link de acesso a este artigo nas suas redes de whatsapp, Facebook, Instagram etc... O link para que outros também leiam o que você leu e gostou está na barra de URL do seu navegador. Ou use um de nossos links de compartilhamento nesta página.

2) Se quiser acrescentar algo, elogiar, criticar ou tirar uma dúvida, deixe aqui no espaço para os comentários desta página mesmo. Ou entre em contato conosco.

3) Se quiser nos ajudar a continuar, uma das coisas que você pode fazer é visitar também um site de algum de nossos parceiros. Para isso, basta entrar lá através de nossas indicações nesta página, isto se você tiver algum interesse no que está sendo oferecido.

Seu apoio é de vital importância. E saiba que o que você fizer nos ajudará muito a manter esta obra funcionando.