“Manual para ministério com jovens e adolescentes” ajuda líderes dessa faixa etária a tratar situações de sofrimento

O Brasil possui 51 milhões de jovens entre 15 e 29 anos. Os dados são de uma pesquisa recente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), do Ministério do Planejamento, que ainda revela a baixa escolaridade, o desemprego e a miséria que afetam os jovens brasileiros. Os ministérios que trabalham com esta faixa etária nas igrejas precisam estar preparados ajudar esses milhares de jovens e adolescentes expostos a problemas sociais, familiares e psíquicos. O recém lançado Manual de Primeiros Socorros para Ministério com Jovens e Adolescentes traz orientações como a importância de ouvir e ser sincero com a vítima de uma circunstância dolorosa. Situações como perda de entes queridos, depressão, vícios, divórcios dos pais, abuso, conflitos na família e problemas na escola são tratadas a partir da necessidade de melhor compreender a circunstância para respondê-la de forma cristã, bíblica e contextual. O grupo também é valorizado como parte do processo de cura. A companhia e apoio dos jovens com quem vai à igreja, convive e se diverte é essencial para a superação de problemas. Assim, para cada tema, há dicas que esclarecem como o líder pode estimular a participação e quais as principais ações que os colegas podem fazer por aquele que vive um momento de dor. Para facilitar a consulta, os temas são identificados no índice. Cada capítulo traz depoimento de um jovem ou adolescente que viveu a situação, noções básicas sobre o assunto, cuidados que devem ser oferecidos, lista de passagens bíblicas, indicações de sites e literatura, dicas do que não dizer o do que dizer e orientações sobre a busca de ajuda profissional. Os jovens e adolescentes são o primeiro tema da série Manual de Primeiros Socorros para Ministério, que nas próximas edições tratará de crianças, mulheres e pequenos grupos. O lançamento é da editora Vida Nova e pode ser adquirido pela internet. Dados sobre a juventude: “para refletir” O contexto em que vive o jovem brasileiro também deve ser considerado pela liderança de ministérios e das igrejas. Os dados do IPEA revelam baixa escolaridade, desemprego e miséria como problemas que afetam grande parte dos jovens brasileiros. A assistente social evangélica Franqueline Terto, de Alagoas, atua em políticas públicas de juventude na Rede FALE e considera os dados “preocupantes”. Como jovem, acredita que as informações são “para refletir sobre o nosso futuro”. Os dados abaixo foram selecionados e divulgados em artigo do diretor-presidente do IPEA, economista Marcio Pochman, no jornal Valor Econômico: - Há 51 milhões de jovens brasileiros entre 15 e 29 anos. - 66% deles estão fora de salas de aula. - Apenas 13% deles estão cursando curso superior. - Apenas 48% dos que têm 17 e 18 anos estão estudando no Ensino Médio. - A principal causa alegada para não estar estudando, entre os homens é ter que trabalhar para ajudar a família; entre as mulheres, a gravidez. - 46% deles estão desempregados. - E 50% dos 54% que estão empregados trabalham sem carteira assinada. Ou seja, do total de jovens, apenas 27% têm emprego com carteira assinada, e por tanto direitos trabalhistas e previdenciários. O que no futuro lhes trará muitos problemas. - 31% de todos eles podem ser considerados miseráveis, pois possuem renda per capita inferior a meio salário mínimo. - 70% dos jovens considerados pobres, são negros.

Pin It

Se você gostou do que leu, queria sugerir três coisas:

1) Se quer que outros também sejam abençoados como você foi, compartilhe o link de acesso a este artigo nas suas redes de whatsapp, Facebook, Instagram etc... O link para que outros também leiam o que você leu e gostou está na barra de URL do seu navegador. Ou use um de nossos links de compartilhamento nesta página.

2) Se quiser acrescentar algo, elogiar, criticar ou tirar uma dúvida, deixe aqui no espaço para os comentários desta página mesmo. Ou entre em contato conosco.

3) Se quiser nos ajudar a continuar, uma das coisas que você pode fazer é visitar também um site de algum de nossos parceiros. Para isso, basta entrar lá através de nossas indicações nesta página, isto se você tiver algum interesse no que está sendo oferecido.

Seu apoio é de vital importância. E saiba que o que você fizer nos ajudará muito a manter esta obra funcionando.